Dia do Blog 2021

Foto de Luly Lage sorrindo, segurando um tablet ao lado do queixo na vertical onde o blog Sweet Luly está aberto, com um layout quase completamente branco com o nome do mesmo escrito em uma letra cursiva em preto com bordas rosa.

O dia 31 agosto é o dia que considero da minha “profissão”, sabe? Existe dia do restaurador, do escritor, da arte e posso até forçar a barra um pouquinho e tentar me encaixar no do professor, mas meu mesmo, mais do que todos os outros, é o Dia do Blog! Eu amo que essa data foi escolhida porque o número parece a palavra, amo que agosto inteiro é considerado nosso mês e dá pra brincar de BEDA – Blog Every Day August fechando com chave de ouro, amo tudo o que tem a ver com blogs porque eles estão no Top 5 de coisas que mais amo na vida, simples assim, fim! Já deixei passar vez ou outra, tudo bem, mas sempre me esforço MUITO pra isso não acontecer e, canceriana nostálgica que sou muito, gosto de manter a tradição da época que existia o site Blog Day, dedicado a essa data, e usar as “regras” da época no meu modo de celebrar até hoje!

Dizeres Dia do Blog dentro de uma forma retangular e, ao lado, a data 31/08 dentro de uma forma de flor.

O que é o Dia do Blog? O Dia do Blog (Blog Day) foi criado na convicção de que os bloggers deverão ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse. Nesse dia os bloggers recomendarão novos blogs aos seus visitantes.

O que acontecerá no Dia do Blog? Durante o dia 31 de Agosto, bloggers de todo o mundo farão um post a recomendar a visita a novos blogs, de preferência, blogs de cultura, pontos de vista ou atitude diferentes do seu próprio blog. Nesse dia, os leitores de blogs poderão navegar e descobrir blogs desconhecidos, celebrando a descoberta de novas pessoas e novos bloggers.

Minhas Indicações para o Dia do Blog 2021:

Nos últimos anos meu critério para escolher os cinco blogs indicados tem sido mais ou menos o mesmo: blogs que amo, que tenho acompanhado bastante e ainda não foram indicados. Sei que a proposta é buscar conteúdos diferentes, mas aí que vem o “tchan” porque TODO MUNDO é diferente. Minhas indicações, então, serão sempre de pessoas ímpar, com seus gostos que não batem com os meus mas, claro, pontos em comum em algum aspectos porque é isso que nos conecta, né? Usamos essa base para nos unir e as divergências (saudáveis, é claro) para nos expandir, sempre, que é o jeito mais gostoso de fazer qualquer coisa, e esse dia inclusive.

01. Tamaravilhosamente, por Tamara MR: Tamara é um XUXU, um amor, uma gracinha! Eu adoro como ela é totalmente orgulhosa de quem é, como deixa isso claro em tudo o que faz, como tudo o que produz é um reflexo disso! Amo que é tão doida com cor de rosa quanto eu (ela tende mais pro rosinha, eu pro rosão, mas não importa) e a gente sempre fica se identificando nos cacarecos uma da outra, hahaha. Tá precisando dar uma postada, é verdade (puxei orelha e não me arrependo), mas sempre dá pra reler o que já passou se precisar, também…

02. Algumas Observações, por Fernanda Rodrigues: A Fe é uma das idealizadoras do projeto Escrita Criativa e eu até participei de uma live com ela e as outras meninas do projeto esse fim de semana pra comemorar o dia de hoje – rolou altas travadas por aqui, mas foi! Acho super importante falar dela como blogueira e escritora porque é alguém que DE FATO sabe o que está fazendo não só na prática, mas também academicamente. É graduada em Letras e especialista em (atenção) Docência em Literatura e Humanidades, Produção de Textos Literários e Formação de Escritores. ELA SABE O QUE TÁ FAZENDO, NÉ MORE? A escrita da mulher é impecável em tudo o que faz e no blog idem!

03. Amayi Koyano, por (adivinha) Amayi Koyano: Já que a gente falou de graduada em Letras vou indicar o blog da minha amiga querida! No bacharelado estudou francês, ma licenciatura Língua Portuguesa, na especialização revisão e no mestrado Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês! Calma, calma, que esse currículo completo num tá aqui pra nada, não, é porque o blog é um reflexo de tudo isso. Mimmy foi a primeira pessoa fora de casa que soube que eu era blogueira, lá atrás na adolescência, e eu amo que a gente tem esse elo entre tantos outros alimentados em metade da nossa vida.

04. Blog Thaís Gama, por Thaís Gama: Preciso falar sobre o conteúdo produzido pela Thaís, que é consultora de imagem e tem sido o tipo de profissional que sigo com muita atenção porque acho a moda uma forma de expressão poderosíssima, inclusive na minha vida. Ai, cá entre nós, é tão bom ouvir e ler gente que que sabe do que tá falando abordando qualquer assunto, e é o que ela entrega falando muito sobre isso, dando dicas e recomendando mídias que te ajudam a explorar sua beleza e estilo, é riquíssimo de acompanhar.

05. Catarina Voltou a Escrever, por Lunna Guedes: Fechando com a Lunna porque o blog dela é exatamente o estilo de blogagem que mais tenho gostado de seguir no último ano… É pessoal e lindamente escrito, identificável e original, tudo o que chamei de critério agora a pouco. Amo muito a forma como ela se expressa, as imagens que produz pra ilustrar e as ideias sempre pertinentes e inteligentes que dão vontade de nunca parar de ler.

Agora pra fechar nosso Dia do Blog me indica um blog aí nos comentários que você acha que eu PRECISO conhecer – pode ser o seu também!

Continue Reading

5 dicas para não deixar o cartão de crédito te afundar!

Foto de uma mesa com papéis desfocados em sua superfície, onde está apoiado o que parece ser um homem de pele escura e camisa social, em uma mão segurando um celular e na outra um cartão de crédito, ambos na direção dele.

Se tem uma coisa que pode ser tanto melhor amigo quanto pior inimigo da nossa vida financeira é o cartão de crédito, né? Tão pequenininho, cabe na palma da mão e no bolso da carteira, mas com potencial para grandes aquisições que nos fazem feliz e, claro, dívidas que trazem desespero. Eu confesso que por aqui já caí nas armadilhas que ele prepara, comprando aquilo que queria muito, mas não tinha realmente dinheiro pra pagar na hora… Mas agora aprendi a lição e sei lidar lindamente, sempre! Por isso, quase como uma anciã passando a mensagem de sua sabedoria aos pequenos gafanhotos, estou aqui humildemente trazendo 5 dicas para usufruir das maravilhas do cartão de crédito sem deixar que ele te afunde de maneira tão rápida – e suja – quanto areia movediça!

1. Mantenha o limite dentro do que é pagável para você

Fala sério, receber aquele aviso que seu limite aumentou é bom demais, né? Parece que você quase ganhou na loteria, as possibilidades aumentam e aquela compra que não pôde ser feita antes por ultrapassar o valor que você podia gastar antes enfim vai sair dos planos e se tornar realidade… Mas não esqueça que ela vai precisar ser paga depois! Mesmo que a empresa do ser cartão te dê mais crédito, vale a pena ajusta-lo no app para um número mais perto da sua realidade. Principalmente porque depois, se sua renda aumentar ou houver alguma emergência, é possível fazer o reajuste para o limite máximo!

2. Não conte com dinheiro futuro que não é certo

Sabe aquele job inesperado que apareceu do nada no e-mail, super legal e tudo a ver com os trabalhos que a gente mais gosta, e levam nossa mente diretamente para onde o dinheiro que vamos receber pode ser direcionado antes mesmo de fechar o acordo? OPA, ALERTA VERMELHO AÍ! Dinheiro proposto não é dinheiro garantido, não! O salário fixo de todo mês, os trabalhos fechados cuja data de pagamento já se aproxima e tudo aquilo que é seu por direito tudo bem, mas o que não foi 100% confirmado não pode ser arriscado. O mesmo vale pra graninha que TALVEZ sua vó vai te dar de aniversário como todos os anos ou QUEM SABE vai sair de algo que está há muito tempo pendente… Deixa pra gastar depois que já estiver na conta.

3. Sempre que possível, adiante suas parcelas pendentes

Ok, o limite aumentou e a grana extra saiu, ‘bora parcelar mais uma comprinha que ‘tava querendo loucamente e mandar brasa… Mas espera, será que não tem nada parcelado atravancado sua vida ali que pode ser antecipado pra tirar um super peso das costas? Qualquer empresa de cartão de crédito permite esse tipo de movimentação e é sempre um alívio saber que tem como ficar livre de algo que estava te “prendendo” antes do prazo planejado…

4. Escolha o tipo de cartão certo para suas necessidades

O cartão que seu amigo usa e oferece para enviar o convite para você fazer o seu também nem sempre vai satisfazer suas necessidades, mesmo que satisfaça as deles e vocês tenham vidas parecidas. Pessoas são singulares e suas vidas financeiras idem! O ideal é sempre escolher o cartão que vai suprir SUA realidade, afinal é você quem vai pagar a fatura todos os meses. E se não souber como escolher a Plusdin faz isso por você! É um serviço que oferece conteúdos sobre o assunto e até um teste que te ajuda a perceber seu perfil, sugerindo o que melhor se encaixa nele, seja sua preferência por anuidade gratuita, possibilidade de cashback ou até descontos nas lojas que mais frequenta. E o melhor? É totalmente gratuito! Eles também fazem recomendação de contas digitais e empréstimos, tudo pra suas finanças ficarem em dia.

5. Lembre-se diferenciar vontade de necessidade

É óbvio que é maravilhoso poder parcelar compras mais caras, adiantar algumas coisas que você teria que esperar o 5º dia útil do mês para adquirir e fazer pedidos em sites internacionais onde nem a moeda é a mesma, quiçá a forma de pagamento. Mas, cá entre nós: será MESMO que não dá pra segurar um pouquinho até o número de pendências diminuir e você normalizar mais sua vida? Será que vale a pena comprometer seu limite, que pode ser tão importante em uma emergência que nos pega sempre de surpresa, em nome de algo que pode vir um pouquinho depois? Saber se parar nossa vontade daquilo que tem real necessidade é o primeiro passo pra não se afundar nele que pode ser aliado, ao invés de inimigo!

Imagem de uma mulher de pele clara e cabelos escuros sorrindo, segurando em uma mão um celular e na outra um cartão de crédito, ambos na direção do expectador.
Imagem via Plusdin.

Psiu! Prest’enção! Esse post é uma publicidade da Plusdin, que você pode conhecer através do site e de redes sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn.

Continue Reading

Armações de óculos 2 em 1 das Óticas Vix

Quando eu era pré adolescente vi começar a onda de armações de óculos 2 em 1, dessas que são óculos de grau comum com um pequeno ímã no alto, de forma que você consegue encaixar por cima uma “placa” do mesmo modelo com lentes para o Sol. Dessa forma a pessoa não precisa carregar duas armações nem mandar colocar seu grau em dois pares de lente diferentes, sabe? É tudo uma coisa só, você remove no escuro e adiciona no claro, simples assim! Na época eu achava isso horroroso, confesso, mas à medida que fui ficando mais velha e precisando de praticidade na minha vida, nossa, um modelo desses virou meu verdadeiro sonho de consumo! Acho mais bonito e funcional que aquelas lentes que mudam de cor, por exemplo. Principalmente hoje em dia em que as opções são bem mais amplas, pra todos os gostos.

E como já virou tradição da produção publieditorial desse blog, hora de mais uma wish list quatro olhos por aqui! Dessa vez com alguns modelos de óculos 2 em 1 das Óticas Vix, que oferece MUITAS opções nesse estilo e belíssimas! O que mais gostei nelas é que a plaquinha de lentes escuras é uma réplica da de baixo, então você realmente tem aquele modelo que mais gostou nas duas opções. Além disso no site deles as opções aparecem nas fotos em modelos de rostos com formatos diferentes, então achando aquela que bate mais com você fica fácil detectar o que vai funcionar na vida real ou não. Comprando pela internet, onde não existe a possibilidade de testar se ficou legal ou não, isso ajuda DEMAIS – não tem nada pior do que óculos que não favorece, gente, socorro…

Mosaico contendo cinco óculos de grau 2 em 1, que vem com um encaixe de óculo de Sol por cima. A descrição visual dos modelos está abaixo, no corpo do post.
Imagens via loja virtual.

1. Íris rosa escuro; 2. Donna Tartaruga; 3. Camille Transparente; 4. Lena Preto; 5. Camille Tartaruga.

Sai ano, entra ano, a minha vibe não muda: gosto de modelos grandes, pra cobrir bem minha visão, já que enxergo pouco, e de acetato que acho mais resistentes, então todas as escolhidas dessa vez obedecem esses critérios. Os dois primeiros, rosinha com aro redondo e gatinho estampado estilo tartaruga, têm formatos que sei que não me favorecem e provavelmente não usaria, mas achei LINDOS DEMAIS! Fica aqui de sugestão pra quem não tem a cara tão redonda e curte o estilo. Temos também um de aro pesado, mas transparente pra suavizar, e o basicão preto fininho, esses são tão na medida certa pra mim que eu só queria tê-los aqui, como possibilidade para alternar entre os dias que tô mais estilosa ou (me fingindo de) séria…

Mas a MAIS LEGAL DE TODAS, que me deixou realmente apaixonada, é uma junção das duas, com textura diamante, porém não só escura como também com estampa tartaruga. Coisa mais linda da vida! Se tiver que eleger minha favorita das cinco, com certeza escolho essa. Eu adorei que os estilos de armações têm nomes próprios, dessa forma se você gostou de um modelo mas quer ver em outras cores é só olhar pelo título. Fora que sempre me divirto imaginando a origem de cada nome, se homenageiam alguém, etc… As Óticas Vix também têm óculos de grau masculino no catálogo e com essa mesma vibe, nomeadas como se fossem pessoinhas… Os óculos 2 em 1 dessa categoria são super chiques e fica aí a dica pra quem está buscando opções vendidas on line, sem precisar assumir os riscos de compra presencial em plena pandemia.

Psiu! Prest’enção! Esse post é uma publicidade das Óticas Vix. Você pode conhecer os serviços da loja pessoalmente nas unidades físicas espalhadas pelo estado de São Paulo e em redes sociais como Facebook, Instagram, TikTok e YouTube.

Continue Reading

Let Them All Talk: ritmo lento regado a citações incríveis

Cena do filme Let Them All Talk onde as personagens estão centadas à mesa em um restaurante bem iluminado, sendo elas Susan (Dianne Wiest) e Roberta (Candice Bergen) à esquerda e Alice (Meryl Streep) e Tyler (Lucas Hedges) de frente para elas, à direita. As três mulheres são idosas e têm cabelos brancos, enquanto o rapaz é um jovem de cabelos escuros.

Let Them All Talk *****
Pôster do filme Let Them All Talk em que Alice, interpretada por Meryl Streep, está apoiada em uma porta branca, com uma mão sobre a boca. Ela tem cabelos brancos, usa óculos de grau de armação escura e roupa de frio também escura. O título e créditos do filme estão acima da sua cabeça, onde há um degradê de cor turquesa, lembrando o cor do oceano. Elenco: Meryl Streep, Lucas Hedges, Candice Bergen, Dianne Wiest, Gemma Chan, John Douglas Thompson, Dan Algrant
Direção: Steven Soderbergh
Gênero: Drama
Duração: 113 min
Ano: 2020
Classificação:
Sinopse: “Uma escritora de sucesso (Meryl Streep) embarca em uma viagem com antigos amigos em um cruzeiro, buscando uma boa dose de diversão e também a cura para algumas feridas do passado. Metido a garanhão, seu sobrinho (Lucas Hedge) a acompanha com o objetivo de conquistar a maior quantidade de mulheres possível, mas chegando lá ele acaba se apaixonando por uma jovem agente literária (Gemma Chan).” Fonte: Filmow.

Comentários: Alice Hughes é uma escritora estadunidense de sucesso que está prestes a receber mais um prêmio, dessa vez na Inglaterra, mas não gosta de andar de avião e, por isso, decide não ir. Sua agente, uma fã do seu maior best seller que deseja muito vê-la publicando a continuação, consegue para elas vagas em um navio que faz o trajeto, pensando que assim conseguirá persuadi-la. Alice decide levar junto seu sobrinho Tyler, por quem tem imenso e recíproco carinho, e duas amigas de faculdade com as quais acabou perdendo contato e pretende se reconectar: Susan, uma senhora gentil que gosta de fazer diferença na vida das pessoas através de seu trabalho, e Roberta, cuja vida financeira está bastante frustante. No trajeto, entre tentativas e falhas de todas as partes, eles encontram à bordo outro escritor famoso e um misterioso homem que é visto sempre no mesmo ambiente que a protagonista…

“Eu acho que atração é a força que move o universo, na verdade… É como a gravidade ou a força magnética. Aquilo que faz as borboletas-monarcas voarem pelo mundo.”

Let Them All Talk foi a primeira coisa que assisti na HBO Max, que estreou no Brasil mês passado com um vasto catálogo. Um original da plataforma, esse filme me atraiu por ter como personagem principal minha queridinha suprema Meryl Streep no papel de uma escritora, mas apertei o play sem nenhuma outra informação sobre, apenas me deixando levar. De cara, é claro, o elenco chama MUITA atenção por ter nomes de peso do entretenimento norte-americano, no papel de pessoas tão diferentes e profundas que me deixou surpresa. Esperei pelos esteriótipos clássicos de grupos de amigas como “a inteligente”, “a solteirona”, “a boazinha”, etc, mas não, elas são mais complexas que isso e mesmo num espaço de tempo tão curto é possível conhecer gradativamente sua história, o que as levou onde estão e, principalmente, a causa do afastamento daquela amizade antiga, que não parece ter sido natural.

Foto de uma cena de Let Them All Talk onde as personagens Tyler e Alice, ele usando terno escuro e camisa de cor clara enquanto ela usa uma roupa completamente escura, encostados no parapeito de uma varanda do navio em que estão viajando. Os dois estão lado a lado, de frente para a câmera, olhando um para o outro, e ao fundo é possível ver um pouco do andar debaixo do navio e o oceano à sua frente.
Let Them All Talk: Imagem via Vulture.

É muito importante destacar para quem pretende assisti-lo que ele tem desenvolvimento bastante lento, como optar por atravessar o oceano pela água ao invés de fazer isso pelo ar. Para quem busca momentos de ação, grandes clímax empolgantes ou mesmo dramas profundos pode ser frustrante. Existe carga sentimental, pitadas de humor, descobertas interessantes, tudo, mas em doses homeopáticas de forma que torna o longa entediante para algumas pessoas. Por outro lado ele é visualmente tão bonito, tecnicamente tão bem conduzido e tem falas que, mesmo cotidianas, são tão intensas que é um prato cheio digno de ser degustado. A busca dessa mulher pela reinserção das pessoas que já foram importantes pra ela na sua vida, que a gente não consegue entender a princípio de onde realmente vem mas torce pra acontecer, é íntima demais, e o final que chega para ela, definitivamente, surpreendente.

Leia também: Resenha do filme Do Jeito Que Elas Querem, comédia também protagonizada por um grupo de atrizes veteranas premiadas.

O filme fica ainda mais fascinante quando você pesquisa sobre o contexto em que foi gravado, dois anos atrás. Imagina um diretor de cinema levando três atrizes premiadíssimas, fora o resto da equipe, à bordo do Queen Mary II, um navio que faz travessia de um continente a outro pelo Atlântico, e filma ali, deixando inclusive que essas pessoas improvisem as falas no meio do caminho? Pois essa foi produção de Let Them All Talk! Entre o desenvolvimento da história, inclusive, eles colocaram algumas cenas do dia a dia da tripulação, pra realmente te colocar “no clima” do cruzeiro, como pequenos respiros na narrativa, que é guiado por uma trilha sonora tão, tão gostosa que não dá vontade de parar de ouvir. É, o ritmo pode não agradar aos mais afobados, mas o conjunto da obra, pra mim, foi sensacional.

Trailer:

Continue Reading

Cruella: um filme regado a moda, dálmatas e rock n’ roll!

Foto da personagem Cruella, que tem os cabelos curtos encaracolados divididos ao meio entre as cores preto e branco, usando uma máscara preta, batom e vestido vermelhos em um baile de gala, onde olha para alguém que está fora da imagem com ar de deboche.

Cruella *****
Pôster do filme Cruella, que tem o nome da atriz que interpreta a personagem título, Emma Stone, no topo, fundo dividido com as cores preto e branco, como os cabelos que ela apresenta na foto que ocupa toda a imagem. A personagem também usa batom vermelho vibrante e roupa preta elegante, segurando oma bengala apoiada nas costas com as duas mãos. O título também aparece em vermelho, à sua frente. Elenco: Emma Stone, Emma Thompson, Joel Fry, Paul Walter Hauser, Emily Beecham, Jamie Demetriou, Joey Akubeze, John McCrea, Kirby Howell-Baptiste, Mark Strong, Kayvan Novak
Direção: Craig Gillespie
Gênero: Aventura, Comédia
Duração: 134 min
Ano: 2021
Classificação: 12 anos
Sinopse: “Inteligente, criativa e determinada, Estella quer fazer um nome para si através de seus designs e acaba chamando a atenção da Baronesa Von Hellman. Entretanto, o relacionamento delas desencadeia um curso de eventos e revelações que fazem com que Estella abrace seu lado rebelde e se torne a Cruella, uma pessoa má, elegante e voltada para a vingança.” Fonte: Filmow.

Comentários: A jovem Estella perdeu a mãe ainda muito nova, tendo que aprender a se virar nas ruas de Londres ao lado dos amigos que fez ali e a aceitaram mesmo com o cabelo incomum, dividido exatamente ao meio nas cores preto e branco, que ela aprende a disfarçar tingindo de ruivo. Entre um “trabalho” e outro, ela sabe que seu sonho MESMO é trabalhar para a Condessa, um ícone da moda britânica que anda sempre acompanhada de seus dálmatas de estimação e é, para ela, uma inspiração. Aos poucos, porém, a jovem percebe que aquele meio no qual almeja tanto entrar pode ser mais ingrato do que pensava e decide então mostrar o lado dissimulado e caótico que tem dentro de si, soltando sua criatividade num plano de vingança pessoal que a transforma nesse ícone muito maior que imaginou ser um dia: Cruella!

Lançado em maio desse ano no acesso premium pago à parte da plataforma Disney+ e agora finalmente liberado para todos os assinantes do streaming, o longa é protagonizado por Emma Stone, que nos faz amar uma vilã imperdoável, ao lado de Emma Tompson, que dá vida a alguém ainda pior e sua genialidade impede o objetivo de nos fazer odiá-la. Em Cruella, a Disney reinventou uma personagem antiga, tão estilosa quanto cruel, e levou direto para o cenário londrino da década de 1970, dando a ela visual de roqueirinha maravilhoso acompanhado de trilha sonora 100% à altura. O ritmo do filme não é dos melhores, fica um pouco lento em diversas partes, mas ao contrário de A Bela e a Fera, onde essa característica atrapalha o acompanhamento da história, as músicas bem selecionadas e humor inteligente ajudam a manter a atenção ao longos dos vários pequenos clímax.

Foto da personagem Cruella olhando diretamente para a câmera com seus olhos azuis e olhar dissimulado. Ela está em um ambiente que parece uma redação de revista ou jornal, bem iluminado, e o close mostra apenas a parte de cima da sua roupa de couro preto pesada, os cabelos curtos metade da cor preta e a outra metade branca e o rosto, onde usa um batom vermelho vibrante.
Cruella: Imagem via The New York Times.

O fato de ser uma nova história, porém, não faz com que o filme não seja atrativo para fãs das animações e live actions de 101 Dálmatas lançadas anteriormente – muito pelo contrário! Sua música tema, “Cruella DeVill”, também ganhou outra história e está presente em toda a trama, em ritmo novo que combina totalmente com o resto das músicas (todas parte integrante da minha playlist do dia a dia, gente). As personagens novas, humanas e caninas, são bem trabalhadas e as “velhas” ganharam visual e personalidades repaginados que fazem muito mais sentido. Um exemplo disso é o fato de que a amizade com essa vilã por parte da Anita não fazia sentido NENHUM na minha cabeça quando assistia ao desenho, desde criança, e agora elas ganharam motivos para essa relação, até na cena entre créditos que é a coisa mais fofa do mundo e precisa ser vista…

Leia também: Resenha do live action A Dama e o Vagabundo, que lançou exclusivamente no Disney+.

Veja bem, não é que tiraram a essência surtada da protagonista, disposta a qualquer loucura para chegar onde deseja. Ela tem isso, e consegue ser um tanto quanto má também. Mas, sinceramente, em pleno 2021 eu não quero ver um filme sobre uma mulher que sequestra filhotinhos para fazer um casaco de pele, né? Não faz SENTIDO esse plot atualmente, e não é por isso que o potencial dela de viver uma nova narrativa devia ser desperdiçado, dessa vez abordando problemáticas da indústria da moda, entre outras. Essas releituras dos clássicos não vieram “justificar” suas ações do passado, mas para dar a eles um olhar mais contemporâneo e inspirador. As animações continuam existindo pra quem gosta, e os live actions passam a existir pra quem quer curti-los também. E dessa vez, assim como na maioria dos lançados até agora, eu curti DEMAIS!

Trailer:

Continue Reading
1 2 3 252